Intoxicação por benzilpenicilina benzatina
INTOXICAÇÃO. Benzetacil.
Sexo: Não informado. Idade: Não informada. Distribuição. Diagnóstico diferencial.
Epidemiologia: FÓRMULA: Suspensão injetável - 150.000UI/ml e 300.000UI/ml. INDICAÇÕES: Infecções estreptocócicas (grupo A, sem bacteremia): infecções leves e moderadas do trato respiratório superior e da pele. Infecções venéreas: sífilis, bouba, bejel (sífilis endêmica) e pinta. Profilaxia da glomerulonefrite aguda e doença reumática. Profilaxia de recorrências da febre reumática e/ou coréia. POSOLOGIA: Adultos: 400.000UI a 800.000UI/dia, via IM profunda, de 12/12h ou 24/24h, por 10 dias. Crianças: administrar 25.000 a 50.000UI/kg/dia, via IM profunda, de 12/12h ou 24/24h, por 10 dias. Sífilis primária, secundária e latente: administrar 2.400.000UI, IM, dose única, em 2 diferentes sítios de injeção. Sífilis tardia (terciária e neurossífilis): aplicar 3 injeções de 2.400.000UI, IM com intervalo de 1 semana entre as doses. Sífilis congênita (recém-nascidos): 50.000UI/kg/dia IM, de 8/8h ou 12/12h, por 10 a 14 dias. Administrar 50.000UI/kg/dia IM, de 4/4h ou 6/6h, por 10 a 14 dias, para menores de 2 anos. Na profilaxia da febre reumática e da glomerulonefrite recomendam-se 1.200.000UI, IM, a cada 4 semanas. A dose e a duração da terapia dependerão da idade, sensibilidade do microorganismo e gravidade da infecção, e deverão ser ajustadas à resposta clínica do paciente. CONTRA INDICAÇÃO: Reação de hipersensibilidade às penicilinas. INTERAÇÕES: Sinergia com aminoglicosídeos. Tetraciclinas diminuem seu efeito. A probenecida diminui a taxa de excreção das penicilinas, assim como aumenta os seus níveis séricos. PRECAUÇÕES: Benzilpenicilina benzatina deve ser administrada exclusivamente por via intramuscular profunda, no quadrante superior lateral da nádega. Em lactentes e crianças pequenas, pode ser preferível a face lateral da coxa. Para doses repetidas, recomenda-se variar o local da injeção. O frasco deve ser vigorosamente agitado antes da retirada da dose a ser injetada, para completa homogeneização do produto. Deve-se evitar a injeção intra-arterial, ou junto a grandes troncos nervosos, uma vez que tais injeções podem produzir lesões neurovasculares sérias, incluindo mielite transversa com paralisia permanente, gangrena, requerendo amputação de dígitos e porções mais proximais das extremidades, necrose ao redor do local da injeção. Tratamentos prolongados com penicilinas, particularmente quando são utilizados regimes de altas doses, recomendam-se avaliações periódicas das funções renal e hematopoiética. Deve-se usar penicilina cautelosamente em indivíduos com história de alergia intensa e/ou asma. TIPO: Antibióticos. . Neuropatia e nefropatia são infrequentes e estão associadas com altas doses de penicilina.
Clínica:. Reações de hipersensibilidade. Adenomegalia. Exantema, local, nas extremidades distal e proximal do local da injeção, &, vesículas. Exantema maculopapular. Dermatite, esfoliativa. Edema localizado, de laringe. Reações semelhantes à doença do soro. Febre. Calafrios. Dor nas articulações. Prostração. Neuropatia. Nefropatia. Palidez cutâneo-mucosa, por reações decorrentes da administração intravascular. Cianose, local, nas extremidades distal e proximal do local da injeção. Fibrose do quadríceps femural. Atrofia do quadríceps femural.
Laboratório: HEMOGRAMA:. Hematócrito diminuído. Reações como anemia hemolítica. Leucopenia. Eosinofilia. Trombocitopenia.
Lista de 42 síndromes minimais compatíveis de até 5 elementos...
. Adenomegalia. Atrofia do quadríceps femural.
. Adenomegalia. Fibrose do quadríceps femural.
. Adenomegalia. Nefropatia.
. Adenomegalia. Reações semelhantes à doença do soro.
. Adenomegalia. Calafrios. Cianose.
. Adenomegalia. Calafrios. Edema localizado.
. Adenomegalia. Calafrios. Neuropatia.
. Adenomegalia. Calafrios. Reações de hipersensibilidade.
. Adenomegalia. Cianose. Dermatite.
. Adenomegalia. Cianose. Dor nas articulações.
. Adenomegalia. Cianose. Edema localizado.
. Adenomegalia. Cianose. Exantema maculopapular.
. Adenomegalia. Cianose. Exantema.
. Adenomegalia. Cianose. Febre.
. Adenomegalia. Cianose. Neuropatia.
. Adenomegalia. Cianose. Palidez cutâneo-mucosa.
. Adenomegalia. Cianose. Prostração.
. Adenomegalia. Cianose. Reações de hipersensibilidade.
. Adenomegalia. Dermatite. Edema localizado.
. Adenomegalia. Dermatite. Neuropatia.
. Adenomegalia. Dermatite. Prostração.
. Adenomegalia. Dor nas articulações. Neuropatia.
. Adenomegalia. Dor nas articulações. Prostração.
. Adenomegalia. Edema localizado. Neuropatia.
. Adenomegalia. Edema localizado. Prostração.
. Adenomegalia. Edema localizado. Reações de hipersensibilidade.
. Adenomegalia. Exantema maculopapular. Neuropatia.
. Adenomegalia. Neuropatia. Prostração.
. Adenomegalia. Neuropatia. Reações de hipersensibilidade.
. Adenomegalia. Palidez cutâneo-mucosa. Prostração.
. Adenomegalia. Prostração. Reações de hipersensibilidade.
. Adenomegalia. Calafrios. Dermatite. Palidez cutâneo-mucosa.
. Adenomegalia. Calafrios. Dor nas articulações. Palidez cutâneo-mucosa.
. Adenomegalia. Dermatite. Exantema. Palidez cutâneo-mucosa.
. Adenomegalia. Dermatite. Exantema. Reações de hipersensibilidade.
. Adenomegalia. Dor nas articulações. Exantema. Reações de hipersensibilidade.
. Adenomegalia. Edema localizado. Exantema maculopapular. Palidez cutâneo-mucosa.
. Adenomegalia. Exantema. Exantema maculopapular. Palidez cutâneo-mucosa.
. Adenomegalia. Exantema. Exantema maculopapular. Reações de hipersensibilidade.
. Adenomegalia. Exantema. Febre. Reações de hipersensibilidade.
. Adenomegalia. Exantema. Neuropatia. Palidez cutâneo-mucosa.
. Adenomegalia. Febre. Neuropatia. Palidez cutâneo-mucosa.