Intoxicação por cefaclor
INTOXICAÇÃO. Uso de Cefaclor -(ceclor af)
Sexo: Não informado. Idade: Não informada. Distribuição. Diagnóstico diferencial.
Epidemiologia: FÓRMULA: Comprimido de liberação programada - 375mg Cápsula - 250mg e 500mg. INDICAÇÕES: Amigdalite, otite, faringite e sinusite. Infecções respiratórias baixas. Infecção da pele e tecidos moles. Infecção urinária. POSOLOGIA: Adultos: 250 a 500mg VO, de 8/8/h. Dose máxima de 4g/dia. A dose e a duração da terapia dependerão da idade, sensibilidade do microorganismo e gravidade da infecção, e deverão ser ajustadas à resposta clínica do paciente. CONTRA INDICAÇÃO: Reação alérgica às penicilinas e cefalosporinas. INTERAÇÕES: Risco de hemorragia com anticoagulantes. Excreção renal diminuída quando associado à probenecida. Diuréticos de alça, aminoglicosídeos, colistina, polimixina B e vancomicina aumentam a probabilidade de nefrotoxicidade. Absorção reduzida por antiácidos. PRECAUÇÕES: Amamentação. Pode causar teste falso-positivo para glicose urinária e teste de Coombs. Tratamento prolongado pode favorecer risco de superinfecção, por alterar a flora intestinal e respiratória. Pode necessitar de ajuste de dose em pacientes com insuficiência renal. TIPO: Antibióticos.
Clínica:. Reações de hipersensibilidade. Exantema maculopapular. Prurido generalizado. Febre. Dor nas articulações. Anafilaxia. Síndrome de Stevens-Johnson. Nefrite, intersticial, transitória. Hiperatividade. Nervosismo. Anormalia do sono. Confusão mental. Hipertonia muscular, generalizada. Tontura. Anorexia. Náuseas. Vômitos. Diarreia. Dor abdominal. Flatulência. Dispepsia. Candidíase, vaginal, intestinal, oral. Cefaleia. Icterícia, transitória.
Laboratório: SANGUE:. Alterações hematológicas (trombocitopenia. Neutropenia. Leucocitose. Agranulocitose. Eosinofilia. Anemia hemolítica e anemia aplástica). ENZIMAS E PIGMENTOS SÉRICOS:. Alterações de transaminases.
Nenhum conjunto compatível de até 5 elementos foi encontrado!