Intoxicação por Hidróxido de alumínio
INTOXICAÇÃO. Pepsamar.
Sexo: Não informado. Idade: Não informada. Distribuição. Diagnóstico diferencial.
Epidemiologia: FÓRMULA: Suspensão oral - 61,5mg/ml. INDICAÇÕES: Hiperacidez. Refluxo gastroesofágico. Gastrite. Úlcera péptica. Hérnia de hiato. Tratamento de hiperfosfatemia. POSOLOGIA: Adulto: 300mg a 500mg VO, 4 vezes ao dia, entre as refeições e ao deitar. CONTRA INDICAÇÃO: Hipersensibilidade aos sais de alumínio. Hipofosfatemia. Porfiria. Menor de 6 anos. Pacientes com obstrução intestinal. Gravidez e lactação. INTERAÇÕES: Pode reduzir a absorção de indometacina, preparações contendo ferro, isoniazida, alopurinol, benzodiazepínicos, deflazacorte, penicilamina, fenotiazinas, sulipiridas, antagonistas dos receptores H2, cetoconazol, itraconazol, inibidores da ECA, losartan, azitromicina, cefaclor, ciprofloxacina, norfloxacina, rifampicina, tetraciclinas, fenitoína, gabapentina, cloroquina, hidroxicloroquina, zalcitabina, bifosfonatos, digoxina, salicilatos, lansoprazol e difluzinal. Aumenta a excreção urinária de salicilatos. Pode aumentar a irritação gástrica com medicamentos de liberação entérica. PRECAUÇÕES: Pode ocorrer intoxicação alumínica e osteomalácea em pacientes com uremia. Usar com cautela na insuficiência cardíaca congestiva, insuficiência renal, edema, cirrose, dietas hipossódicas, presença de hemorragia gastrointestinal. Idosos apresentam maior incidência de constipação. TIPO: Antiácidos.
Clínica:. Constipação. Dor abdominal, em câimbras. Náuseas. Vômitos. Descoloração das fezes. Hipofosfatemia. Hipomagnesemia.
Laboratório:
Lista de 3 síndromes minimais compatíveis de até 5 elementos...
. Descoloração das fezes.
. Hipofosfatemia.
. Hipomagnesemia.