Teratoma maligno dos testículos
DISPLASIAS DO FOLHETO MESODÉRMICO | SISTEMA REPRODUTOR MASCULINO. Teratoma maligno trofoblástico; Teratoma maligno do testículo.
Sexo: Não informado. Idade: Não informada. Distribuição. Diagnóstico diferencial.
Epidemiologia: . Os tumores germinativos do testículo são divididos, na prática, em 2 grupos: seminomas (40%) e não-seminomas (40%), que diferem entre si pelo pico de incidência etária (seminoma entre 30 e 40 anos, não-seminomas entre 20 e 30 anos), pelo comportamento biológico (não-seminomas são mais agressivos) e pela sensibilidade às diversas formas de terapia (seminomas são extremamente radiossensíveis e mais quimiossensíveis). Os tumores não-seminomatosos abrangem quatro subtipos: carcinoma embrionário, coriocarcinoma, teratocarcinoma e teratoma, apresentados aqui em ordem decrescente de agressividade. Os teratomas de testículo predominam nas três primeiras décadas e, ao contrário dos de ovário, são malignos.
Clínica:. Tumor no testículo.
Laboratório: IMUNO:. Antígeno carcinoembriônico, positivo, varia com o tabagismo, em 9%, antígeno carcinogênico embrionário, CEA. MORFO do testículo:. Macroscopia do testículo com aumento de volume, testículo muito aumentado de volume e deformado, o tecido neoplásico assume vários aspectos:. áreas homogêneas amareladas (provavelmente tecido pouco diferenciado), cistos, tecido fibroso, ilhotas esbranquiçadas (cartilagem?), o que é próprio de um tumor originado nos três folhetos embrionários. áreas de cartilagem madura, epitélio escamoso queratinizado e epitélio glandular colônico.
Nenhum conjunto compatível de até 5 elementos foi encontrado!