Displasia arterial fibromuscular
CIRCULATÓRIO: DISPLASIAS ARTERIAS SISTÊMICAS. (DFM); Displasia Fibromuscular; Fibromuscular dysplasia. Descrita em 1938 por WF Leadbetter (-) e CE Burkland (-) na artéria renal como “an intraluminal mass of smooth muscle".
Sexo: Não informado. Idade: Não informada. Distribuição. Diagnóstico diferencial.
Epidemiologia: . A maioria dos casos da DFM envolve as artérias renais. As artérias carótidas e ilíacas são acometidas com frequências menores. Em 80% dos casos, a DFM renal envolve as artérias do lado direito e pode estar associada a aneurismas da artéria renal. A DFM renal é do tipo fibroplasia da média em 85% dos pacientes e displasia perimedial em 10% dos casos. Outros vasos afetados são as artérias mesentéricas, subclávia, axilar, vertebrais e coronárias. Noventa por cento dos pacientes adultos com DFM são do sexo feminino. CLASSIFICAÇÃO:1- Fibroplasia da íntima, com aumento do tecido conjuntivo fibroso, colágeno e substância basal. 2- Fibroplasia da média, com aumento do tecido conjuntivo fibroso, colágeno e substância basal. 3- Hiperplasia da média, com proliferação excessiva do músculo liso. 4- Displasia perimedial, acúmulo de tecido elástico entre a adventícia e a média. HISTÓRIA PESSOAL:. Coartação da aorta.
Clínica:. Hipertensão arterial, renovascular. Ataque isquêmico, cerebrais transitórios.
Laboratório: ANGIOGRAFIA:. Estenose das artérias renais são as mais afetadas; artérias intracranianas, hepáticas, carótidas, basilares, ilíacas e axilares, nas áreas intervenientes de dilatação.
Nenhum conjunto compatível de até 5 elementos foi encontrado!