Hiperplasia glandular endometrial
DISPLASIAS DO SISTEMA ENDÓCRINO E REPRODUTOR. Hiperplasia endometrial; Hiperplasia do endométrio: soe, cística· cístico-glandular· polipoide; hiperplasia endometrial atípica; Endometrial hyperplasia.
Sexo: 0M. Idade: Não informada. Distribuição. Diagnóstico diferencial.
Epidemiologia: PROGNÓSTICO: Neoplasia maligna do endométrio, em 25% dos casos. . Frequentemente ocorre com ausência de ovulação próximo ao período da menopausa. A estimulação estrogênica por ciclos anovulatórios, nuliparidade, obesidade e estrogênios exógenos (em maiores quantidades que as existentes em pílulas anticoncepcionais) causa hiperplasia endometrial que pode progredir para carcinoma endometrial se a estimulação estrogênica continuar. A hiperplasia endometrial atípica progride para câncer endometrial em cerca de 25% dos casos. Geralmente a hiperplasia endometrial é uma manifestação de hiperestrinismo, e pode causar sangramento vaginal irregular e abundante.
Clínica:. Hipermenorreia. Metrorragia, irregular, abundante.
Laboratório: MORFO do endométrio:. Macroscopia do útero com cistos, corte de útero mostrando a mucosa endometrial espessa e contendo numerosos pequenos cistos, aspecto em queijo suíço, os cistos consistem de glândulas endometriais hiperplásicas e dilatadas. Microscopia do útero com cistos, mucosa endometrial espessa e contendo numerosos pequenos cistos que lhe dão aspecto em queijo suíço, os cistos consistem de glândulas endometriais hiperplásicas e dilatadas. Microscopia do endométrio com aspecto back to back, em certas áreas, a quantidade de estroma entre as glândulas diminui, ficando as glândulas mais próximas entre si, às vezes em contato, dando um aspecto back to back. Microscopia do endométrio com efeito estrogênico, po estrógeno estimula a proliferação do epitélio glandular, podendo tornar o epitélio pseudoestratificado (núcleos em várias alturas), mitoses são vistas com frequência, pode levar ao aparecimento de cílios, normalmente só observados no epitélio da trompa, isto se chama metaplasia tubária que é um indício de hiperestimulação estrogênica. Macroscopia do ovário com cistos, os ovários mostram vários cistos foliculares de paredes lisas, histologicamente são revestidos por células foliculares e podem mostrar hiperplasia da teca interna (não demonstrado), responsável por produção aumentada de estrógenos, isto resulta em hiperplasia endometrial. Macroscopia do útero com cisto de Naboth, endocérvice com um cisto de Naboth que é associado a cervicites crônicas e sem relação etiológica com os ovários policísticos. Microscopia do útero com cisto de Naboth, glândula endometrial dilatada. Hiperplasia endometrial. Endométrio constituído por glândulas e estroma proliferados. As glândulas exibem tortuosidade e certo grau de cistificação (Obj: 10x). Conclusão:. Hiperplasia endometrial. Detalhe do endométrio proliferado onde se observam glândulas revestidas por epitélio hiperplásico que exibe pseudo estratificação celular, algumas figuras de mitose e discreto grau de hipercromasia nuclear. O estroma encontra-se, também, hipercelularizado e apresenta alguns macrofágos contendo hemossiderina, sinal da ocorrência passada de episódios hemorrágicos (Obj: 40x). Conclusão:. Hiperplasia endometrial. Hiperplasia endometrial simples e cística. Ovários policísticos. Hiperplasia endometrial. Os ovários mostram vários cistos foliculares de paredes lisas. Estes cistos histologicamente são revestidos por células foliculares e podem mostrar hiperplasia da teca interna (não demonstrado aqui), responsável por produção aumentada de estrógenos. Isto resulta em hiperplasia endometrial. Na endocérvice foi encontrado um cisto de Naboth associado a cervicites crônicas e sem relação etiológica com os ovários policísticos.
Nenhum conjunto compatível de até 5 elementos foi encontrado!