Hemorroidas com trombose
CIRCULATÓRIO: VASOS SANGUÍNEOS VENOSOS SISTÊMICOS. Hemorroidas complicado com trombose; Hemorroidas trombosadas; Hemorroidas trombosadas, não especificadas.
Sexo: Não informado. Idade: Não informada. Distribuição. Diagnóstico diferencial.
Epidemiologia:
Clínica:. Constipação.
Laboratório: MORFO do plexo venoso anal:. Macroscopia do reto com hemorróidas, exemplo de congestão passiva crônica no território da veia porta, a hipertensão portal repercute também no território da veia mesentérica inferior causando o estabelecimento de circulação colateral com ramos da veia cava inferior a nível da submucosa retal, o resultado são as hemorróidas, contudo, na grande maioria dos casos as hemorróidas não resultam de hipertensão portal, mas de fraqueza constitucional da parede destas veias, normalmente muito delicadas. Microscopia do reto com trombos, trombos em várias fases de evolução (em hemorróidas), dilatações das veias do plexo hemorroidário que ficam na submucosa retal (hemorróidas) são comuns, a grande maioria origina-se por fraqueza constitucional da parede venosa, algumas resultam de hipertensão portal, a lentidão do fluxo nas veias dilatadas propicia a trombose, trombos em três fases:. recente; em organização e recanalização. Microscopia do reto com trombo recente, assim que se forma o trombo é constituido apenas por células do sangue e fibrina, a fibrina forma grumos e/ou filamentos róseos dispostos em várias direções entre as hemácias. Microscopia do reto com trombo em organização, após algum tempo células provenientes da parede vascular invadem o trombo (células endoteliais e células conjuntivas totipotentes, que se distribuem entre a fibrina e as hemácias e são notadas pelos seus núcleos e praticamente não se observa citoplasma), as hemácias nesta fase já estão em grande parte hemolizadas e seu número parece menor que no trombo recente, as células se organizam para formar capilares neoformados, o processo de organização dos trombos é semelhante em artérias e veias. Microscopia do reto com trombo recanalizado, capilares neoformados confluem em outros de maior calibre, este processo de recanalização é abortivo na grande maioria dos casos, pois em geral não há reconstituição da luz original do vaso. Veias varicosas com trombose em várias fases (hemorróidas). Dilatações das veias do plexo hemorroidário que ficam na submucosa retal (hemorróidas) são comuns. A grande maioria origina-se por fraqueza constitucional da parede venosa. Algumas resultam de hipertensão portal. A lentidão do fluxo nas veias dilatadas propicia a trombose. Aqui temos na mesma lâmina trombos em três fases:. recente, em organização e recanalização. Assim que se forma, o trombo é constituído apenas por células do sangue e fibrina. A fibrina forma grumos e/ou filamentos róseos dispostos em várias direções entre as hemácias. Após algum tempo, células provenientes da parede vascular invadem o trombo. São células endoteliais e fibroblastos, que se distribuem entre a fibrina e as hemácias e são notadas pelos seus núcleos (praticamente não se observa citoplasma). As hemácias nesta fase já estão em grande parte hemolizadas e seu número parece menor que no trombo recente. As células se organizam para formar capilares neoformados, que em parte confluem em outros de maior calibre. Este processo, chamado recanalização, pode ser desde inexistente até levar à reconstituição quase completa da luz do vaso. Na grande maioria dos casos, porém, a recanalização é abortiva. O processo de organização dos trombos é idêntico em artérias, veias e câmaras cardíacas.
Nenhum conjunto compatível de até 5 elementos foi encontrado!