Equinococose
HELMINTOS. Doença hidática; Cisto hidático; Hidatidose humana; Hidatidose; Echinococcosis. Em 1790 Berlot (-) descreveu o cisto hidático no baço "Primary splenic hydatidosis".
Sexo: Não informado. Idade: Não informada. Distribuição. Diagnóstico diferencial.
Epidemiologia: . Zoonose (antropozoonose). CONTATO COM ANIMAIS: Canídeos - Cães. Bovinos - Bois. Bovinos - Vacas. Ovinos - Carneiros. Suínos - Porcos. Equinos - Cavalos. HOSPEDEIRO: O ciclo se completa entre cães, que hospedam a forma adulta do parasito, e carneiros, que abrigam a forma larvária. O homem, ao ingerir os ovos provenientes do cão, passa a comportar-se como hospedeiro intermediário, no qual só se desenvolve a forma larvária. PROGNÓSTICO: Mortalidade sem tratamento de 15%.
Clínica:. Anormalia neurológica, insepecíficos.
Laboratório: TC:. Positivo. ECO:. Cisto hidático. RNM:. Positivo. CINTILOGRAFIA:. Positivo. ANGIOGRAFIA:. Positivo. MORFO do agente:. Identificação de tumor cístico avascular com cistos filhos no fígado, pulmão ou osso, cérebro ou outros sistemas. Cisto calcificado. RX de tórax:. Positivo. Urografia excretora:. Positivo. IMUNO:. Testes imunológicos. Teste do arco cinco com reação cruzada com a T. solium. Exame do conteúdo do cisto após remoção cirúrgica:. Positivo. ASPIRAÇÃO percutânea (perigo com o cisto sob pressão):. Positivo. Mapeamento ósseo:. Positivo.
Nenhum conjunto compatível de até 5 elementos foi encontrado!