Hepatite C aguda
INFECÇÃO POR VÍRUS. Hepatite aguda C; Hepatite viral não-A não-B transmitida parenteralmente; Hepatitis C; HCV. O vírus (RNAvírus) foi identificado em 1989 por QL Choo (-) e M Houghton (-).
Sexo: Não informado. Idade: Não informada. Distribuição. Diagnóstico diferencial.
Epidemiologia: . Causa mais frequente, de hepatite viral pós-transfusional (mais 90% dos casos). EUA. Risco de 1:100 000 unidades transfundidas). NOTIFICAÇÃO: Compulsória. HISTÓRIA PESSOAL:. Transfusões, em 4%. Transmissão sexual, apenas com níveis altos de HCV RNA. Transmissão materno-neonatal, apenas com níveis altos de HCV RNA. USO DE DROGAS: Endovenosa, em 50%. PROGNÓSTICO: Evolução em 2-3 semanas, recuperação completa em 16 semanas. Gravidade leve. Hepatite C crônica, em mais de 80%. Hepatite C fulminante, é rara nos EUA. CONDIÇÃO: Assintomático. Pode persistir no sangue de portadores crônico. TRANSMISSÃO: Via parenteral. Transfusões. Uso droga endovenosa. Beijo.
Clínica:. Início súbito, 06S-07S, após contato com pessoa infectada. Dor nas articulações, múltipla, crônica. Náuseas. Vômitos. Evolução aguda.
Laboratório: HORMÔNIO PLASMÁTICO:. T4 aumentado. ENZIMA SÉRICA:. Aminotransferases aumentada. IMUNO:. Anticorpo anti HCV, positivo, sensibilidade moderada - falso-negativo, especificidade baixa, <50%. Pessoas com gama-globulina alta é comum dar flaso-positivo. Ensaio imunoblot recombinante suplementar, RIBA ou HCV RNA.
Nenhum conjunto compatível de até 5 elementos foi encontrado!