Estenose da valva mitral
CIRCULATÓRIO: VALVAS CARDÍACAS. Estenose mitral; Mitral valve stenosis. Descrita em 1674 por John Mayow (1643-1679), fisiologista inglês.
Sexo: Não informado. Idade: Não informada. Distribuição. Diagnóstico diferencial.
Epidemiologia:
Clínica:. Fadiga muscular. Ortopneia. Dispneia, paroxística, noturna. Hemoptise. Lesão cutânea eritematosa, malar. Precórdio abaulado. Pulsação precordial, difusas, em pacientes jovens. Pulso arterial fraco. Ictus cordis ausente. Frêmito mesodiastólico, na ponta. Frêmito presistólico na ponta. B2 com estalido, paraesternal esquerdo, no ápice. B1M hiperfonética, com sopro diastólico, com ruflar crescente, sopro mesodiastólico em ruflar com o reforço pre-sistólico, sopro paraesternal, esquerdo. Sopro diastólico, curto, de alta intensidade, soprante, eventual, após exercício em decúbito lateral esquerdo. Sopro cardíaco, de Graham Steell, sopro diastólico curto ao longo da borda esternal esquerda indicando hipertensão pulmonar grave.
Laboratório: RX de tórax:. Retificação da borda cardíaca E. AE aumentado com compressão esofágica. Elevação do brônquio E principal. Calcificação mitral eventual. ECG:. Onda P alargada, nas derivaçõs clássicas, bifásica em V1, !Sobrecarga atrial esquerda. Fibrilação atrial. ECO:. Valva mitral espessada, movimentos limitados, fechamento lento, cúspides anterior e posterior fixas movendo-se juntas. DOP:. Gradiente transvalvar. Tempo de decaimento médio através da valva mitral prolongado. CAT:. Positivo.
Lista de 61 síndromes minimais compatíveis de até 5 elementos...
. Frêmito presistólico na ponta.
. Ictus cordis ausente.
. B1M hiperfonética. B2 com estalido.
. B1M hiperfonética. Fadiga muscular.
. B1M hiperfonética. Frêmito mesodiastólico.
. B1M hiperfonética. Hemoptise.
. B1M hiperfonética. Lesão cutânea eritematosa.
. B1M hiperfonética. Ortopneia.
. B1M hiperfonética. Precórdio abaulado.
. B1M hiperfonética. Pulsação precordial.
. B1M hiperfonética. Pulso arterial fraco.
. B1M hiperfonética. Sopro cardíaco.
. B2 com estalido. Frêmito mesodiastólico.
. B2 com estalido. Hemoptise.
. B2 com estalido. Lesão cutânea eritematosa.
. B2 com estalido. Ortopneia.
. B2 com estalido. Precórdio abaulado.
. B2 com estalido. Pulsação precordial.
. B2 com estalido. Pulso arterial fraco.
. B2 com estalido. Sopro cardíaco.
. B2 com estalido. Sopro diastólico.
. Dispneia. Frêmito mesodiastólico.
. Fadiga muscular. Frêmito mesodiastólico.
. Fadiga muscular. Precórdio abaulado.
. Fadiga muscular. Pulsação precordial.
. Fadiga muscular. Sopro diastólico.
. Frêmito mesodiastólico. Hemoptise.
. Frêmito mesodiastólico. Lesão cutânea eritematosa.
. Frêmito mesodiastólico. Ortopneia.
. Frêmito mesodiastólico. Precórdio abaulado.
. Frêmito mesodiastólico. Pulsação precordial.
. Frêmito mesodiastólico. Pulso arterial fraco.
. Frêmito mesodiastólico. Sopro cardíaco.
. Hemoptise. Precórdio abaulado.
. Hemoptise. Pulsação precordial.
. Lesão cutânea eritematosa. Ortopneia.
. Lesão cutânea eritematosa. Precórdio abaulado.
. Lesão cutânea eritematosa. Pulsação precordial.
. Lesão cutânea eritematosa. Pulso arterial fraco.
. Lesão cutânea eritematosa. Sopro diastólico.
. Ortopneia. Precórdio abaulado.
. Ortopneia. Pulsação precordial.
. Ortopneia. Sopro cardíaco.
. Ortopneia. Sopro diastólico.
. Precórdio abaulado. Pulsação precordial.
. Precórdio abaulado. Pulso arterial fraco.
. Precórdio abaulado. Sopro cardíaco.
. Precórdio abaulado. Sopro diastólico.
. Pulsação precordial. Pulso arterial fraco.
. Pulsação precordial. Sopro cardíaco.
. Pulsação precordial. Sopro diastólico.
. Pulso arterial fraco. Sopro cardíaco.
. Pulso arterial fraco. Sopro diastólico.
. Dispneia. Fadiga muscular. Lesão cutânea eritematosa.
. Dispneia. Hemoptise. Sopro diastólico.
. Dispneia. Lesão cutânea eritematosa. Sopro cardíaco.
. Dispneia. Sopro cardíaco. Sopro diastólico.
. Fadiga muscular. Hemoptise. Lesão cutânea eritematosa.
. Fadiga muscular. Hemoptise. Sopro cardíaco.
. Fadiga muscular. Lesão cutânea eritematosa. Sopro cardíaco.
. Hemoptise. Lesão cutânea eritematosa. Sopro cardíaco.